MATERIALISMO HISTÓRICO DIALÉTICO



Compartilhe com seus amigos

MATERIALISMO HISTÓRICO DIALÉTICO

Metodologia da Pesquisa

 

MÉTODO CIENTÍFICO MATERIALISMO HISTÓRICO DIALÉTICO

MÉTODO CIENTÍFICO MATERIALISMO HISTÓRICO DIALÉTICO

Nesta postagem vou discutir um pouco sobre o Materialismo Histórico Dialético. Aqui apresento um vídeo explicando sobre este conceito e, no final da postagem deixarei vários links com diferentes pesquisas que abordam este método. De antemão já digo que este vídeo não tem cunho político, dentro das discussões marxistas que embasam a visão de mundo que eles possuem. A visão de mundo empregada por Marx, Engels, Lenin e outros são utilizadas para apenas lhe instrumentalizar diante deste método de pesquisa.

Espero que os diferentes materiais disponibilizados aqui ajudem nos seus estudos para compreender melhor as bases metodológicas do Materialismo Histórico Dialético. Não deixe de assistir o vídeo sobre este tema e navegar pelos outros sites e materiais indicados aqui. Acesse todo o conteúdo sobre metodologia da pesquisa clicando AQUI.

Para basear as concepções do Materialismo Histórico Dialético recomendo três livros:

 

  • Gil, Métodos e Técnicas de pesquisa social.
  • Lakatos e Marconi. Fundamentos da Metodologia Científica.
  • POLITZER, Georges. Princípios Elementares de Filosofia

 

Clique na imagem abaixo e seja redirecionado para o livro de Politzer.

POLITZER Principios Elementares de Filosofia

POLITZER Principios Elementares de Filosofia

 

Este manual elementar transcreve as notas tomadas por um dos alunos de Georges Politzer nos cursos por ele professados na Universidade Operária, no ano escolar de 1935-36. Para, a propósito, compreender o seu carácter e alcance, é necessário precisar, em primeiro lugar, o objectivo e o método do nosso mestre.

Desde o início, Georges Politzer encarregou-se de ensinar na Universidade Operária a filosofia marxista, o materialismo histórico dialético: tarefa tanto mais necessária, uma vez que o ensino oficial continuava a ignorar ou a
reproduzir inexatamente esta filosofia.

A Universidade Operária foi dissolvida em 1939. Reapareceu, no dia seguinte à Libertação, sob o nome de Universidade Nova. Uma nova equipa de professores devotados, fazendo a rendição dos que tombaram, veio dar continuidade à obra interrompida.

Nada nos pode encorajar mais nesta tarefa essencial do que render homenagem a um dos fundadores e animadores da Universidade Operária, e nenhuma nos parece mais justa e útil do que publicar os “Princípios elementares de filosofia” de Georges Politzer.

Comparações entre Gil, Lakatos e Marconi e Politzer sobre o Materialismo Histórico Dialético

 

Muito cuidado quando for se apropriar de um conhecimento a partir de um único autor. Abaixo eu reproduzo a essência do Materialismo Histórico Dialético a partir dos três livros indicados. O interessante é que ambos citam Politzer (1978) como fonte de consulta. Porém, eles apresentam divergências.

Este materialismo pode ser entendido como um método de interpretação da realidade a partir de três grandes princípios, alguns autores apontam quatro princípios. O prof. Gil cita Engels (1974) com três princípios, já Lakatos e Marconi apontam Politzer (1979) que cita Engels. De qualquer forma, você pode consultar os livros citados e ir em busca desta informação. O que interessa aqui neste vídeo é deixar claro como que se trabalha com esses fundamentos do materialismo histórico dialético para que você se atente ao seu trabalho.

Veja as comparações:

Para Gil, nós temos:
  1. A unidade dos opostos: todos os objetos e fenômenos apresentam aspectos contraditórios, que são organicamente unidos e constituem a indissolúvel unidade dos opostos. Os opostos não se apresentam simplesmente lado a lado, mas num estado constante de luta entre si. A luta dos opostos constitui a fonte do desenvolvimento da realidade.
  2. Quantidade e qualidade: quantidade e qualidade são características imanentes, ou seja, inseparáveis, a todos os objetos e fenômenos e estão inter-relacionados. No processo de desenvolvimento, as mudanças quantitativas graduais geram mudanças qualitativas e essa transformação opera-se por saltos.
  3. Negação da negação: a mudança nega o que é mudado e o resultado, por sua vez, é negado, mas esta segunda negação conduz a um desenvolvimento e não a um retorno do que era antes.
Já Lakatos e Marconi, com base em Politzer, apresentam o seguinte:
  1. Ação recíproca, unidade polar ou “tudo se relaciona”:
  2. Mudança dialética, negação da negação ou “tudo se transforma”:
  3. Passagem da quantidade à qualidade ou mudança qualitativa:
  4. Interpretação dos contrários, contradição ou luta dos contrários:
Em Georges Polítzer – Princípios elementares da Filosofia – encontramos as seguintes leis:

Primeira Lei:  A mudança dialética

  1. O que se entende pelo movimento dialético
  2. Para a dialética, não há nada de definitivo, de absoluto, de sagrado.
  3. o processo

Segunda Lei: A ação recíproca

  1. O encadeamento dos processos
  2. As grandes descobertas do século XX
  3. O desenvolvimento histórico em espiral

Terceira Lei: a Contradição

  1. A vida e a morte
  2. As coisas transformam-se na sua contrária
  3. Afirmação, negação e negação da negação
  4. Recapitularemos
  5. A unidade das contrárias
  6. Erros a evitar
  7. Consequências práticas da dialética

Quarta lei: Transformação da quantidade em qualidade ou lei do progresso por saltos

  1. Reformas ou revolução?
  • A argumentação política
  • A argumentação histórica
  • A argumentação científica

2. O materialismo histórico

  • Como explicar a história
  • A história é obra dos homens

 

Portanto, ao assistir o vídeo abaixo sobre o Materialismo Histórico Dialético, deixei de lado essa diferença entre os três livros citados e fui direto ao tratamento de Politzer. Acompanhe:

 

 

Diferentes materiais para ajudar a compreender o Materialismo Histórico Dialético:

 

Materialismo e Empirocriticismo: Notas críticas sobre uma filosofia reacionária

Ludwig Feuerbach e o Fim da Filosofia Clássica Alemã. Friedrich Engels

Mais de 100 livros marxistas disponíveis para download

 

Indicações de Pesquisas que utilizam o Materialismo Histórico Dialético como fundamento

 

Caso tenha alguma indicação de outro trabalho que utilize o Materialismo Histórico Dialético como pressuposto metodológico de pesquisa, mande o link.

Acompanhe todas as postagens sobre Metodologia da Pesquisa

Um forte abraço

Ivan

Postagens Relacionadas

Compartilhe com seus amigos

About the Author

Ivan Guedes

Prof. Dr. Ivan Claudio Guedes, Geógrafo e Pedagogo. Professor de Geografia na educação básica e Docente do curso de Pedagogia da Faculdade Progresso. Coloca todo o seu conhecimento a disposição de alunos acadêmicos, pesquisadores, concursantes, professores, profissionais da educação e demais estudantes que necessitam ampliar seus conhecimentos escolares ou acadêmicos.

Comments

  1. Maravilha meu amigo Guedes! Sou Pastor e Bacharel em Teoogia Sistematica. Fiquei muito imprecionado coom seu video!

    Agora nao tenho sugestoes formada, deixe me umtempo para pode-lis formar na devida altura lhe envio!

    Para finalizar, eu gostaria de fazer curso de Licenceatura em Antropologia Teoloogica, sinto que com estes conehcimentos vou poder ajudar meu pais e africa em particular conheciemntos ainda nao revelados. Seguramente, a sua intervista me chamou atencao sobre assunto, por forma a se cuidar ao realizar as pesquisas!

    Eu sou Mocambicano, casado e pai de filhos e netinhos e vivo na gracas de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *