CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM



CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

LUCKESI, HOFFMANN E OUTROS ESPECIALISTAS DISCUTEM SOBRE O TEMA

 

avaliaçao da aprendizagem

avaliação da aprendizagem

As discussões que envolvem a avaliação da aprendizagem são polêmicas e muitas vezes geram uma certa contradição entre teoria e prática. Nessa curta postagem pretendo trazer algumas considerações e indicar alguns vídeos para melhorar a nossa concepção sobre o tema.

 

Recentemente publicamos o artigo “Vai Cair na Prova“? em que discutimos a função da aula e da avaliação sobre a aprendizagem. Recomendo essa leitura, clique aqui para ler mais sobre o assunto.
É importante frisar que a avaliação, dentro de uma concepção de escola progressista, de uma escola que trabalha para a apreensão de competências e habilidades, tem como principal objetivo diagnosticar periodicamente a aprendizagem dos nossos alunos. Avaliar para quantificar, classificar e atribuir uma nota já não faz sentido (ainda que na prática, é o que ocorre).
A concepção de avaliação para um professor, está estritamente ligado à sua concepção de educação e de escola. Se um professor acredita que a função da escola é a de fazer o aluno memorizar a maior quantidade possível de informações e dados, a avaliação terá somente este fim. Mas, se o professor acredita que a escola deve contribuir com o desenvolvimento de habilidades, a avaliação tenderá a seguir este caminho.
Sem querer me alongar, vou sugerir três vídeos para contribuir com a nossa formação continuada:
O primeiro vídeo é uma entrevista com a Profa. Jussara Hoffann, em que se discute sobre as concepções de avaliação no século XXI. Neste vídeo, a professora traz a reflexão de que foi a partir da massificação do ensino, que a avaliação passou a ser um ato burocrático (tal qual eu escrevi acima).
Neste vídeo ainda será discutido sobre a crescente preocupação com os índices de aproveitamento dos alunos (algo que, no limite, pode se tornar uma tremenda paranoia pedagógica).

 

O segundo vídeo, protagonizado por Cipriano Carlos Luckesi, também se afirma que na história da educação a avaliação teve como objetivo a seletividade, verificar se aprendeu (memorizou) ou não.
Luckesi afirma que a sua função é a de garantir o sucesso – dos alunos – dos professores – em todas as áreas do conhecimento.
Um fato muito importante que devo chamar a atenção neste vídeo é o de que a “avaliação por si só, não resolve nada, quem resolve é a gestão. Ela é um instrumento para produzir um indicativo“. Pois bem, fica a pergunta: Qual é a gestão pedagógica que realmente a utiliza enquanto um indicativo de processo de aprendizagem? Creio que essa discussão ainda é muito tênue nas escolas.
Entendo que a avaliação, enquanto um instrumento de gestão pedagógica pode (e deve) oferecer o diagnóstico sobre a aprendizagem, mapeando as principais dificuldades dos alunos para que o professor tenha maior clareza do que ele deve (ou não) centrar maior foco em suas aulas.

Por fim, o terceiro vídeo discute as diferenças entre avaliação somativa e formativa.
Neste vídeo, chamo a atenção para alguns pontos:
1. Nenhum país resolve seus problemas de educação sem resolver os problemas da avaliação.
2. A avaliação, de acordo com a LDB 9.394/1996 deve ser contínua e cumulativa, ou seja, os aspectos qualitativos deve prevalecer sobre os quantitativos.
3. A avaliação formativa deve estar estritamente ligada ao plano de trabalho do professor e ao desenvolvimento das habilidades requeridas nos diferentes segmentos de ensino (aqui podemos tratar, inclusive, da apreensão dos conteúdos conceituais, procedimentais e atitudinais).
4. As avaliações externas podem oferecer boas oportunidades de sondagens aos professores, uma vez que são realizadas de acordo com a Teoria de Resposta ao Item, ou seja, são estritamente verificadoras das aprendizagens das habilidades.

Espero que este texto e os vídeos acima lhes tragam boas reflexões e discussões.
Deixem seus comentários abaixo.
Até a próxima!

Prof. Ivan Claudio Guedes.

Postagens Relacionadas

About the Author

Ivan Guedes

Prof. Dr. Ivan Claudio Guedes, Geógrafo e Pedagogo. Professor de Geografia na educação básica e Docente do curso de Pedagogia da Faculdade Progresso. Coloca todo o seu conhecimento a disposição de alunos acadêmicos, pesquisadores, concursantes, professores, profissionais da educação e demais estudantes que necessitam ampliar seus conhecimentos escolares ou acadêmicos.

Comments

  1. Bom dia professor você tem uma técnica de leitura?ando tendo muita dificuldade de concentração na leitura,minha cabeça dói ,olho sinto muito sono poderia me ajudar com algum método?grande abraço!!!!
    obs: amei seu canal.

    1. Olá. Sinceramente creio que o melhor seria ler com calma. Trecho por trecho e parar quando começar a sentir dores.
      De qualquer forma, você já pensou na possibilidade de estar com algum problema de visão?
      Creio que uma breve consulta com um oftalmo poderia resolver seu problema. Mesmo que você precise de um óculo com 0,25 graus só para a leitura, isso já faz uma grande diferença.
      Um forte abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *