SÍNDROME DE BURNOUT



Compartilhe com seus amigos

SÍNDROME DE BURNOUT

Estive pensando seriamente no que venho presenciando nas escolas, na faculdade e nos colegas.
Resolvi postar algumas considerações sobre essa “doença”.
Seria o problema da educação um problema de saúde? o que podemos fazer?

A Síndrome de Burnout é uma doença muito séria e que não é levada em consideração.
Muitas vezes projetamos os problemas da nossa profissão no outro e esquecemos de refletir de uma maneira mais profunda sobre o que vem acontecendo.

Assim, para facilitar o entendimento deste tema, estou postando dois vídeos que ajudam entender este problema.
Assista e reflita.

O vídeo abaixo traz uma reportagem específica sobre este problema na nossa profissão.

Para entender melhor essa síndrome, recomendo a leitura do texto A SÍNDROME DE BURNOUT E O TRABALHO DOCENTE

Por fim, considerando que todos temos uma parcela de compromisso com a sociedade e com nós mesmos, concluo com o vídeo abaixo.

Os vídeos estão no youtube.
http://www.youtube.com/watch?v=THodmREGhT0

http://www.youtube.com/watch?v=gLysWa7DdG8&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=_UF2m_VO-oE&feature=related

Postagens Relacionadas

Compartilhe com seus amigos

About the Author

Ivan Guedes

Prof. Dr. Ivan Claudio Guedes, Geógrafo e Pedagogo. Professor de Geografia na educação básica e Docente do curso de Pedagogia da Faculdade Progresso. Coloca todo o seu conhecimento a disposição de alunos acadêmicos, pesquisadores, concursantes, professores, profissionais da educação e demais estudantes que necessitam ampliar seus conhecimentos escolares ou acadêmicos.

Comments

  1. Excelente post, parabéns! Hoje os professores estão no limite de suas condições, porque a saída que vemos para ganharmos mais, é nos entupir de aulas. Pois os cursos e formações que fazemos, muitas vezes servem apenas para passar em uma entrevista, ou ganhar uns pontos e 100 reais de aumento. Nossa profissão não está sendo valorizada, estudamos, queremos ser profissionais melhores e o que recebemos? O amor dos nossos alunos! Mas somos profissionais e não missionários !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *