MEC apresenta documento com erros de português para justificar nota de redação no Enem



Do UOL, em São Paulo




Além de errar a soma da nota da redação de um aluno que fez a prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2011, o MEC (Ministério da Educação) explicou a correção em um documento repleto de erros de português e com problemas de construção de texto. O jornal “O Globo” teve acesso à justificativa, que o órgão confirmou ser verdadeira.
Consultado sobre os problemas, o ministério afirmou que o documento é de responsabilidade do Cespe (Centro de Seleção e de Promoção de Eventos, vinculado à Universidade de Brasília). Por sua vez, o Cespe disse que não se pronuncia sobre assuntos relacionados ao Enem.


UOL Educação pediu que para Thaís Nicoleti, consultora de língua portuguesa do Grupo Folha-UOL, analisasse o texto. Veja as conclusões:
“A resposta ao recurso do estudante apresenta vários problemas gramaticais, que, embora não invalidem a compreensão das principais ideias nela expostas, fragilizam uma argumentação que, elaborada pelo corpo de professores da banca examinadora do Enem, visa a justificar a avaliação negativa do grau de maturidade linguística de um estudante de ensino médio.

Primeiro parágrafo

No primeiro parágrafo, “Em atenção ao recurso administrativo interposto pelo participante XXXX inscrito do Exame Nacional do Ensino Médio…”, nota-se o uso da preposição “de” no lugar preposição “em”, já que o participante estava inscrito no Exame Nacional do Ensino Médio.

Quinto parágrafo

No quinto parágrafo, a regência do verbo “focar” deixou a desejar (“focando emoutro aspecto, que não o doprecipuamente tema proposto”). No mesmo fragmento, percebe-se ainda que a ordem dos termos está inadequada. Corrigindo, teríamos algo como o seguinte: “focando outro aspecto, que não o do tema precipuamente proposto”. No final do mesmo parágrafo, um defeito de construção sintática:

“… porque o texto, a despeito do julgamento feito…, apresentou estrutura sintática esperada para o grau de escolaridade exigido, porém apresentou, em seu texto, alguns desvios gramaticais…”
A palavra “texto” é sujeito das duas flexões do verbo “apresentar”, porém, na segunda, o sujeito só poderia ser a pessoa, o estudante em questão. O texto falha no encadeamento das ideias.

Sexto parágrafo

No sexto parágrafo, mais um defeito de construção sintática e a falta do acento indicador de crase. No trecho “Para receber nota superior a que foi atribuída nessa competência,esperava-se que o participante elaborasse…”, ocorre a preposição “a” fundida com o pronome demonstrativo “a” (nota superior à que, superior àquela que), o que deve ser assinalado com o acento grave. O defeito de construção reside no fato de que o sujeito da oração principal deveria ser idêntico ao da subordinada que inicia o período, ou seja, “Para receber nota superior à que foi atribuída nessa competência, o participante deveria ter elaborado…”. 
Segue, ainda no sexto parágrafo, o seguinte trecho:
“Percebe-se, também, que não foi explorado adequadamente os múltiplos aspectosinerentes ao contexto da vida em rede os conflitos entre os espaços públicos e privados decorrentes dela. Portanto, nada há que se alterar na nota…”,
no qual faltam elementos de coesão e pontuação, além da adequação à norma culta no quesito “concordância”. Veja uma reformulação possível:
“Percebe-se também que não foram explorados adequadamente os múltiplos aspectos inerentes ao contexto da vida em rede nem os conflitos entre os espaços públicos e privados decorrentes dela. Portanto, nada há que alterar na nota…”.

Sétimo parágrafo

No sétimo parágrafo, a regência nominal está incorreta no trecho “forma pouco consistente ao ponto de vista…”, em que, segundo a norma culta, cabe a preposição “com” (“consistente com o ponto de vista”).
Ainda no mesmo parágrafo, faltam vírgulas em duas situações:
1. “… o participante trata, em seu texto, do tema ‘crimes virtuais’ que, apesar de ter certa conexão com o tema…” (a oração subordinada adjetiva explicativa deve ser separada da anterior por uma vírgula);
2. “Cumpre esclarecer, também, que para receber a nota máxima nessa competência, toda a argumentação…” (a oração subordinada adverbial final “para receber a nota máxima nessa competência” deveria estar entre duas vírgulas).

Oitavo parágrafo

No oitavo parágrafo, há problemas de concordância, de sintaxe de colocação pronominal e de regência: “No entanto, se observa inadequações no nível dos parágrafos, em que o participante demonstra pouco domínio no que se refere à utilização dos recursos coesivos”.
Corrigindo o fragmento, teríamos o seguinte:
“No entanto, observam-se inadequações no nível dos parágrafos, em que o participante demonstra pouco domínio da utilização dos recursos coesivos.”



http://noticias.uol.com.br/educacao/ultimas-noticias/2012/01/12/mec-apresenta-documento-com-erros-de-portugues-para-justificar-nota-de-redacao-no-enem.htm

Postagens Relacionadas

About the Author

Ivan Guedes

Prof. Dr. Ivan Claudio Guedes, Geógrafo e Pedagogo. Professor de Geografia na educação básica e Docente do curso de Pedagogia da Faculdade Progresso. Coloca todo o seu conhecimento a disposição de alunos acadêmicos, pesquisadores, concursantes, professores, profissionais da educação e demais estudantes que necessitam ampliar seus conhecimentos escolares ou acadêmicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *